Educação

A crise ambiental na Amazônia é, em última análise, uma crise de educação e uma crise de informação.

Por esta razão, a Escola da Amazônia, o programa de educação apoiado pelo Cristalino Lodge e realizado pela Fundação Cristalino, convida estudantes das escolas da região para realizar atividades de imersão na floresta com uso de métodos científicos, aulas práticas e teóricas sobre o ecossistema, buscando criar uma relação positiva com a floresta.

PROJETO UM DIA NA FLORESTA

São oficinas gratuitas, realizadas por meio do programa Escola da Amazônia, que têm como objetivo colocar os jovens de Alta Floresta de 11 a 14 anos de idade em contato direto com a Floresta Amazônica.

Durante o dia de atividades, os estudantes realizam caminhadas, observações da fauna e da flora, atividades artísticas e dinâmicas de grupo em plena floresta, tornando esse ambiente mais familiar e divertido.

RESULTADOS ATÉ AGORA

Desde 2008, o projeto Um Dia Na Floresta realizou mais de 80 oficinas que envolveram pelo menos:

  • 35 alunos de graduação em oficinas de treinamento;
  • 50 voluntários;
  • 120 professores de 30 escolas (quase todas públicas) de Alta Floresta e municípios vizinhos;
  • 1400 crianças, diretamente;
  • Milhares de crianças e centenas de adultos, indiretamente, por meio dos pôsteres nas escolas e do Termo de Compromisso assinado pelos pais. 

Testes aplicados antes e depois da participação revelaram que as oficinas podem efetivamente aumentar o interesse e o respeito das crianças acerca da floresta.

Escolas urbanas e rurais de Alta Floresta e Novo Mundo podem participar do projeto entrando em contato através do e-mail mariana@fundacaocristalino.org.br. Visite também a página do projeto Um Dia Na Floresta.

PROJETO JOVEM CONSERVACIONISTA

Uma iniciativa da Escola da Amazônia, com apoio do Programa Empreendedores da Conservação (E-Cons), que tem como objetivo divulgar e incentivar as melhores práticas para a utilização e a conservação dos recursos naturais na Amazônia. O projeto envolve jovens estudantes, seus professores e suas escolas, reconhecendo e valorizando o papel desses atores. A primeira edição deste prêmio teve como foco a Escola Estadual Ouro Verde, localizada na zona rural de Alta Floresta, onde trinta alunos de ensino médio participam de oficinas, bem como da criação de uma peça de comunicação socioambiental sobre a região. Os vencedores foram para São Paulo participar de uma mesa redonda na escola Lourenço Castanho, bem como para visitar locais para a comunicação ambiental e a divulgação científica, tais como a redação das revistas Super Interessante e National Geographic – ambas do núcleo Planeta Sustentável da Editora Abril –, a redação do programa Globo Rural, da Rede Globo, o Museu de Microbiologia do Instituto Butantã e o Museu de Anatomia Veterinária da Universidade de São Paulo (USP). Saiba mais.

PREMIAÇÕES

O programa Escola da Amazônia foi vencedor do prêmio Whitley Awards, da Whitley Fund for Nature (Reino Unido), sendo considerado um modelo de educação ambiental aplicada.

Home